dúvidas sobre os nossos tamanhos? clique aqui!
Bezzi - Dj & Ilustrador (São Paulo / SP)

Na ativa há mais de 9 anos como um dos principais Djs de rock / classics de São Paulo, além de atuar na área artística criando estampas, ilustrações, stickers e escrevendo sobre música & comportamento.Também atua como produtor de trilahs para desfiles e podcasts Em 2006 assinou contrato com a agência Clunk djs se tornando o segundo dj do gênero a ser agenciado na América Latina.

Alguns clubes em que Já se apresentou:
Madame Satã (SP), A Torre do Dr. Zero (SP), Amp Galaxy (SP), D-edge (SP),Vegas (SP), Glória (SP), Funhouse (SP), Up (BH), Mary in Hell (BH), Casa da Matriz (RJ), James Bar (Curitiba / PR) ,Flowers club (Florianópolis / SC), Neo (Porto Alegre/ RS), Clube Centenário (Vitória /ES), Boomerangue (Salvador/ BA).

Alguns nomes importantes com quem já dividiu as pick-ups:
Tim Taylor (UK /Missile Records), Larry Tee (electro clash/E.U.A),Magal, Camilo Rocha, Lúcio Ribeiro, João Gordo, Edinho (RJ), Cláudia Assef, André Barcinsky, Kid Vinil, Liana Padilha, Luca Lauri, Alexandre Hechcovitch, entre outros.

Discotecagem de abertura para as bandas:
The Brides (EUA), Boom Boom Kid (Arg.), Motosierra (Uruguai), CSS (SP), Inocentes (SP), Cachorro Grande (RS), Forgotten Boys (SP), No Porn (SP), etc…

Ilustrações & trabalhos publicados nos seguintes veículos:
Claro Toque de Arte, Revista pix , Stone.Mag (Alemanha), MTV.com.br, Revista Bizz.

Contato
Site
Fotos & ilustrações
Sets & podcasts

 
DJ Nedu Lopes

Com mais de 15 anos de carreira, Nedu Lopes foi residente do Clube Fantasy por mais de 3 anos; apresentou o programa Adrenalina na Transamérica; lançou CD com suas produções; foi eleito o melhor DJ de Electro/Breaks de BH em 2003 pela Premiere; eleito o melhor DJ de Breakbeat pelo fórum do rraurl.com em 2005 e, desde o início de 2004, faz parte do cast da agência paulista Clunk DJs.

Já tocou em importantes festivais, projetos e cluber como:

Eletronika Telemig Celular (BH), Circuito (SP), Grooved (SP), Quebrada (SP), Techtronic (BSB), Tuntz (PA), Dama de Ferro (RJ), Fosfobox (RJ), Kraft (Campinas), Vegas (SP), Lov.e (SP), e no mais recente Creamfields (BH).

CONTATO:
Marco Oliveira
clunkdjs@gmail.com / www.clunkdjs.net

EVENTOS

SETS:
http://www.rraurl.com/djs/profile.php?dj=nedulopes

 

Tabuleiro

"Belo Horizonte não tem mar, mas tem bar." O ditado, popular entre os jovens da capital mineira, é perfeito para contextualizar o cenário em que surgiu o TABULERO, no ultimo mês de 2003. Com Bruninho Campos (voz), Paulo Meyge e Bê Brandão (guitarras), Fred Heliodoro (baixo), Guto Padovani (bateria), a banda apresenta o seu primeiro CD, “Nas Linhas De um Sonho”, um EP, contendo sete músicas de autoria da banda. Livre de qualquer pretensão inicial, um grupo de amigos resolve unir forças para tocar em uma festa de faculdade. O sucesso da apresentação rendeu a eles a oportunidade de tocar em uma outra festa na semana seguinte. Desde então, foram penetrando pelos bares da cidade, e, aos poucos, o TABULERO foi conquistando os jovens de Belo Horizonte.

A banda se estabeleceu nas melhores casas noturnas da cidade e, também, já se apresentou em grandes palcos de BH (Chevrolet Hall, Arena Telemig Celular , Lapa Multishow e Serraria Souza Pinto, locais onde as maiores bandas do país e do mundo se apresentam) e ao lado de grandes nomes: Armandinho, Nando Reis, Tianastácia, Manitu, entre outros. Mas o trabalho não para em Belo Horizonte: o TABULERO tem levado a sua música a diversas cidades do interior e até para fora do Estado. A banda se apresentou recentemente em Búzios-RJ, onde a tocou no Fishbone(praia de Geribá) e na boate Aldeia, e em Itacaré-BA. Em 2004 foram realizadas 107 apresentações, e 93 em 2005, tornando o TABULERO uma das bandas mais requisitadas de BH.

O TABULERO se destaca por estar inovando influenciado por diversos estilos musicas: ritmos dançantes e swingados aliados a harmonias bem elaboradas e melodias inteligentes. Paulo Meyge, um dos guitarristas e compositores da banda, é bem direto: “Estamos tentando fazer um som melódico como, com letras pessoais e que seja dançante. É como se fosse um rock no contratempo, não necessariamente um reggae, rock ou funk, com influencia de musica popular”.

Visite o site